domingo, 16 de julho de 2017

Segmentada: Capítulo 11- Lágrimas [ Saga Hitomi ]



Ciaossu, Hitmans!

Mais um post da insana saga do Akio e Elena. Para amantes de drama, entrou no capítulo certo. Fiz esse capítulo bem dramático,
até porque nem tudo é perfeitinho como um anime shoujo. Carlos me chamou de Rainha do Drama quando eu soltei os spoilers. :v É só um pequeno drama, afinal o foco de Segmentada é vários gêneros como: terror, gore, suspense, batalhas e romance alá shoujo com um pingo de drama. 

Sinopse: 

Após a derrota de Margot e o retorno de Zlata, Akio decide focar em sua vingança. Entretanto, existe um empecilho: Elena. Pouco a pouco ela está mudando-o e desviando desse caminho. 


Capítulo 11 - Lágrimas

Sentiu Akio ficar rígido ao seu lado, como um manequim de loja ou um boneco de cera, assim que viu sua reação ao botar os olhos  na chefe. Olhos homicidas de quem apenas queria fazer Zlata pagar por fingir estar morta, pois desde então ele havia sido caçado constantemente por Luna e quase morto por ela várias vezes. Ela interpretou bem o olhar de fúria de Akio, por isso pensou rápido. Saltou sobre ele e o abraçou, impedindo-o de sacar a espada e jogou-se com o demônio ao chão. 

-Me solte, Elena!

-Não, não vou soltar!

-Ora, ora, vocês dois...- Zlata olhou Akio e Elena juntos, já esperava que aquilo aconteceria cedo ou tarde e isso a deixou mais alegre - finalmente largou de ser virjão e chegou na Elena, soldado promovido!

- Sua ruiva maldita! - Akio tentava se livrar de Elena, mas com o selo vampírico removido ela conseguiu uma força bruta imensurável. - Me solte, Elena. Graças a essa putinha quase morremos nas mãos da Luna, me solte. 

-Não...você tem que esfriar a cabeça. - Elena insistiu e sabia que sempre conseguia dominar Akio, até mesmo quando ele estava insano de raiva. - Por favor, Akio.

Jack passou por Akio e Elena, pendurou seu casaco, espremendo-o no armário entre os de Dill, Maria e os hóspedes daquela casa. Ignorou Zlata, como se ela não existisse, cumprimentou a esposa de seu cunhado e deu um longo beijo em Mirai. 

-Devia ter ficado na cama. 

-Eu já me sinto melhor e depois, sua chefe voltou e pediu comida e companhia.

-Ah, foda-se - Jack deu um bocejo prolongado e coçou a barba. - Vou tomar um banho, estou parecendo um porco. 

-Está bem. Não demore. O jantar já está pronto. 

-Mas o que é isso aqui?! - Dill olhou Zlata sem acreditar, sua inimiga de longa data estava viva e comendo bolinho no seu sofá. - Zlata?

-Desculpe a invasão, é que meus guardiões estão aqui, Luna tomou uma surra, eu fugi da prisão para qual aquela bruxa me vendeu...

-É impossível fugir da Víndice. É como a Aranha para nós hunters. 

-É, eu sei...eu pensei que estava lascada mas aí o tubo de chamas da chuva onde me mantinham mergulhada em coma se rompeu de alguma forma e eu matei todos. Escapei e estou aqui. - Ela limpou as pontas dos dedos sujos de farelo de bolinho e calçou suas x-gloves. - Não se preocupem, o elo que une vocês retornou. Honra, dor e glória! 

-Depois você há de pagar - Akio murmurou, amuado. - quando Elena não estiver vigiando...

-Não preciso que ela me defenda, pode vir senhor fodão!

Com o retorno de Zlata, tudo voltou a ser como antes. Ou quase. Luna estabilizou seu estado mental e voltou a tomar os remédios. Vivia na base com Alícia e o primo Scorpius. Alícia era advogada e conseguia ocultar facilmente as ações ilícitas da Belphegor.  Nas horas vagas ia ao circo flertar com a cantora Sophie Beckett e cair na bebedeira com Scorpius, esquecendo-se que perdeu um olho por causa de uma traição.

Jack continuou a trabalhar para Belphegor, insistiu para que Akio e Elena ficassem em sua casa por um tempo. Mas Akio tinha vários planos. 

Dill, por sua vez, partia em viagens trabalhando na polícia hunter e sempre que podia visitava sua esposa Maria com muitos mimos e presentes para agradá-la. E quando não era suficiente a levava nas viagens. 

Zlata voltou a rotina de chefe da máfia. Mas de vez em quando saía sem avisar, principalmente à noite para encontrar o rapaz que rachou o tubo de chamas da chuva onde ela foi mantida, um rapaz chamado Koeji, o homem que desafiou o Víndice. 

 A grande mudança foi Akio decidir sair por um tempo da vila, de férias, relaxar um pouco, esfriar a cabeça para poder engolir a Zlata como chefe outra vez. Uma vez na máfia, não pode sair a não ser morto. E Zlata seguia à risca as leis da máfia para manter a Belphegor em ordem. Há dias estava na casa de Jack. 

- Akio...o que acha de irmos na praia? Aqui é tão frio... - Elena estava animada com a ideia de Akio sair de férias, já tinha vários planos em mente. - ah...olha eu fiz, aprendi com a Mirai a pintar e fiz um para ti...nós dois...

Ela mostrou orgulhosa um desenho, passou dias trabalhando nele. No desenho um casal se beijando, uma menina de cabelo rosado e um demônio com asas negras em meio a balões e circo.  Ela sorriu para ele orgulhosa do trabalho esperando a reação do rapaz. Ele apenas estreitou os olhos e jogou o desenho no chão. Elena abaixou-se para apanhar, achando que ele derrubou por acidente.

-Akio, você é tão desajeitado!

-Vou viajar sozinho. - Akio tomou o desenho e a olhou  com muito desprezo - Você não me deixou matar a Zlata, não respeitou minhas decisões, agiu como uma garotinha mimada. Me deixe em paz, Elena. 

Akio rasgou o desenho em vários pedaços e os jogou sobre a menina. 

-O- o quê? - ela estava mais confusa do que um lutador após tomar um soco direto no queixo. 

-Me deixe em paz, sua idiota. Desgruda de mim, me deixa viver em paz. Eu nunca quis me envolver contigo, isso porque meus planos são outros... preciso achar meu irmão e me vingar, entende? E você só atrapalha tudo com esse seu pacifismo de merda.

Aquilo a devastou por dentro, mas ela sorriu e segurou as lágrimas, pois não queria perdê-lo. 

-H-hai...desculpe, vo...você está certo. - Elena correu dali no mesmo instante, sem entender muito bem o que estava acontecendo, mas sem conseguir suportar as lágrimas que caíram imediatamente, assim como o seu mundo e as bases de seu coração.  

Assim que saiu da casa de Jack dias depois, Akio recolheu algumas roupas e dinheiro em seu quarto na Belphegor. Arrumou tudo em uma mala só e partiu apenas despedindo-se de Jack e Dill, seus únicos amigos ali. Não falou mais com Elena, a afastou de todas as maneiras. Na saída, Luna o abordou, ele a ignorou mas ela segurou-o pelo braço e disse: 

- Me desculpe por tentar te matar tantas vezes, eu não estava em meu juízo perfeito, minha chefe, pensei que ela estava morta...

Akio foi direto e logo a cortou, puxando o braço de volta. 

-Luna, dane-se seus motivos. Pare de falar de si mesma e veja o lado dos outros ao menos uma vez. Você e Zlata vão pro inferno! Se quer me enfrentar, ao menos tenta vencer Taylor antes. 

Ele virou as costas para Luna, ignorando totalmente os resmungos enfurecidos dela. 

Ao longe viu o carro do circo novamente,a perseguição de Luna e o beijo que deu em Elena para escapar. Ele sorriu bobo mas não por muito tempo. Suas palavras contundentes afastaram totalmente Elena e ele não sabia seu paradeiro. Pela primeira vez perguntou-se onde e como ela estava.  

Não encontrou Elena com Mirai, na casa de Jack como esperava. As coisas dela não estavam no quarto, apenas um caderninho semelhante a um diário. Nele, Elena falava de um jeito inocente sobre os acontecimentos desde que começou a vender flores perto da Belphegor. Akio envolveu-se na leitura, as lágrimas estavam caindo quando foi atingido pelas lembranças dele com Elena eternizada em palavras.

''Lembro quando Akio me disse eu te amo pela primeira vez, foi como se ele tivesse transformado minha humilde existência em vida.''  

Na última página, estava apenas o mesmo desenho que ela lhe presenteou. Ela colou pedaço por pedaço até formar a figura novamente. 

'' Assim como esse desenho, meu coração não voltará mais a ser como antes. ''

Akio soltou o caderno e encolheu-se na cama chorando. Ficou assim por horas, pensando em onde Elena poderia estar. Quando se recompôs do choque, guardou o caderno consigo e procurou por Mirai na sala. Assim que a viu, questionou sobre Elena.

-Ela apenas sumiu - Mirai explicou enquanto colocava os pacotes sobre a mesa - e faz dias, só você não percebeu. 

-Droga...é tudo culpa minha! - Akio passou a mão nos cabelos, coçando a nuca e olhando para os lados. - Ela se foi por minha causa.

- Sim, a culpa é sua, a coitadinha não parava de chorar. Disse que ia mudar para quando você voltasse visse que ela não era mais a fresca de antes.

-Ta de brincadeira, né?

Mirai fechou a mão e acertou um cascudo em Akio. 

-Aiii! - Ele encolheu-se para se defender. 

-Acha que sou mulher de brincar? Eu ouvi os aldeões falarem sobre um monstro bebedor de sangue na floresta...uma mulher muito bela e vestida em trapos, ela estava a atacar todos que entravam lá...só pode ser ela. Não a procurei na floresta porque não tive coragem, desculpe, fiquei com medo dela estar com muita sede e me atacar sem querer.

-Só pode ser ela...preciso achá-la...

-Então vá antes que seja tarde. 

Akio correu para a floresta no mesmo instante. 

Elena passou os últimos dias caçando. Esqueceu-se totalmente dos diários de Margot e Elaine após a confusão com Akio.  Akio logo iria viajar e ela sentiu-se mais oca que as carcaças dos desavisados que entravam na floresta. Matou cada um dos alvos facilmente, bebeu o sangue e comeu os órgãos internos. Matar parecia a única maneira de distrair-se momentaneamente e não desabar por completo. Continuaria assim até os aldeões se revoltarem contra ela e matá-la. Era esse seu plano. 

Ao por do sol, sentou-se, escondida dos raios por conta da luz. Estava suja de sangue e brincava com uma cabeça humana. Matava apenas bandidos, estupradores e assassinos. Seu sonho era ''limpar'' o mundo, destruí-lo e construir um mundo melhor para si mesma. As palavras de Akio ainda ecoavam em sua cabeça e ela fez o que ele ordenou. Sumiu de sua vida.  

Juntou as mãos sobre as pernas e baixou a cabeça. Os cabelos rosados caíram sobre os ombros e seus olhos despejaram lágrimas, num choro muito baixo porém audível. Seus ombros mexiam levemente enquanto chorava e seu rosto se contraía e os lábios tremiam quando seus olhos fechavam. Um frio dominou seu corpo, embora o clima não fosse tão ameno, abraçou-se e suspirou. Pegou uma faca que tinha guardada e a apontou para o próprio pescoço, suas lágrimas se misturaram ao sangue. Se conseguisse arrancar a própria cabeça, morreria. 

Ela fechou os olhos e empurrou a faca para o próprio pescoço. Pouco antes da lâmina conseguir perfurá-la, duas mãos a detiveram, parando a investida. Ela conhecia tanto o calor quanto a força daquelas mãos.

-Elena!- Akio arrancou a faca das mãos da garota e  atirou o objeto para o lado.

Ela imaginou aquilo tantas vezes que pensou ser uma mentira e apenas fingiu que ele não estava ali.Furioso consigo mesmo, Akio sentou-se em na frente da menina e agarrou-lhe pelos ombros. Se chegasse um segundo depois, ela estaria morta. 

-Por que isso, Elena?

-Eu que pergunto...por que você está aqui? 

 Akio aproximou o rosto de Elena e, antes de beijá-la disse: 

-Porque eu te amo.  

Os lábios deles se juntaram mas os de Elena não se moviam com os dele, Elena não correspondeu como sempre fazia, apenas esperou como uma estátua ele se afastar. 

- Sei que fui um idiota esses dias só porque você tentou me ajudar mas me perdoe...

E ele estava chorando outra vez. Não chorava desde quando seus pais morreram, chorar por Elena significava que ela era importante a um nível inigualável.  

-Prometo fazer outro desenho se você não ficar assim... - ela também estava chorando, mas a saudade dele era maior que o orgulho. - ah, desculpe, você não gosta de desenhos!

Akio abraçou mais Elena, escondendo o rosto molhado e salgado em seu ombro. 

-Pensei que estivesse viajando.

-Não sem você, Elena. 

-Pensei que estivesse bravo comigo...- ela não conseguia continuar falando sem cair no choro, um choro preocupantemente calmo.

-Não estou, eu fui um imbecil por te tratar feito um cachorro por causa de uma bobagem e por causa dessa vingança estúpida. Eu vim te buscar para que viaje comigo. 

-Eu não quero.  Eu quero morrer apenas. 

Eles se olharam por vários instantes, Elena abaixou a cabeça como sempre fazia, e ele a pegou no colo. O olhar dela permanecia vazio e inexpressivo, mas as lágrimas não cessavam. Seu coração foi destruído e levaria um tempo para ser consertado. Akio sabia que não seria nada fácil mas faria o possível para Elena sorrir outra vez. Preferia que ela estivesse brigando e provocando, tentando bancar a superior. Mas ela não reagia, apenas chorava muito. A aparição repentina de Akio ali não a convenceu. 

Aquela noite, Akio alugou uma casa na vila pois estava tarde para viajar aquele dia. Deu banho em Elena - que por sinal estava fedendo feito gambá - e colocou nela o pijama novo rosa que pediu para Mirai comprar. Mirai usou o cartão de crédito que Akio deu para que comprasse roupas para Elena. Ele não entendia nada de moda ou maquiagem. 

-Pronto. Agora está limpa e arrumada. 

O corpo de Elena tombou exausto para frente e Akio a segurou, carregando e deitando-a na cama. Parecia estar segurando um cadáver de tão imóvel que ela permaneceu desde a floresta. 

-Elena?

Elena o abraçou pela cintura e seus olhos fecharam ao mesmo tempo que as lágrimas caíram pelo rosto. Encostou a cabeça no peito de Akio e subiu no colo dele. As unhas agarraram o tecido da camisa, ela inalou o aroma que a pele dele exalava e balançou as pernas. 

Mente confusa, dias traumáticos. Akio era o mal que lhe fazia bem. 

-Não acredito que veio me buscar, para mim estou em um de meus sonhos... - a voz dela saiu mais anasalada que o normal por causa das lágrimas que também escapavam pelo nariz - ...uma hora vou acordar sozinha na floresta. Vou aproveitar enquanto sonho. Meu sonho sempre acaba!

-Tudo isso é real, sei que ainda não me perdoou mas farei de tudo para restaurar você...

Akio ouviu uns soluços vindos da garota mas ela aquiesceu com a cabeça. Ele prosseguiu, calmo como nunca pensou que seria: 

-Eu te amo muito, vou cuidar de você e de seu pequeno coração que quebrei por orgulho... você é minha, Elena, vingança, nada nem ninguém não vai nos separar. 

Ela podia sentir gotas de lágrimas caindo do rosto dele como chuva e misturando-se com as suas. Ergueu as mãos e enxugou tranquilamente. Desacostumou-se a falar muito,então assentiu, sentindo um misto de vergonha e segurança.

- Eu te amo mais, Akio Daichi - ela sussurrou no ouvido dele e o beijou. 

Ele a deitou lentamente na cama enquanto a beijava, ficando sobre ela, mas sem esmagá-la com o peso, pensando em formas de reconquistá-la. Levar Elena à praia no dia seguinte, como ela pediu. Planejava pedir a mão dela em casamento, afinal já viviam há tempos como marido e mulher. 

Ela ainda acreditava estar sonhando, mas isso não a impediu de beijá-lo também e sentir-se viva outra vez. E eles continuaram de onde sempre o sonho de Elena parava. 

                                                   x-x-x

Outro fantasma. Jack e Luna voltavam de uma missão proposta por Zlata quando encontraram na entrada na base um rapaz idêntico ao Shinto. Ele sorriu para ambos daquela forma gentil que fazia os estômagos dos dois se revirar. Luna escondeu-se atrás de Jack e cobriu a cabeça com o capuz do casaco.  Era manhã do dia seguinte, pequenos flocos caíam sobre a vila congelada no tempo. 

-Não pode ser! - Luna tremelicava atrás do colega. 

-Luna-san!

Jack jogou a cabeça para trás, colocou as mãos na barriga e soltou uma gargalhada ao ver a forma como Luna agiu perante Shinto. 

-É ele, não morre nunca!

-Eu nunca morro...é um dom. - Shinto sorriu. - Onde está aquele maldito chamado Dill Celestin?

-Não te aconselho a se meter com ele e você tem contas a acertar comigo - Já com tonfas em mãos olhava Shinto com o mesmo ódio que Akio olhou para Zlata. - Afinal, você quase matou a minha esposa. 

-Quando? Onde? - ele riu cinicamente.

Jack não respondeu, apenas foi correndo na direção de Shinto com intenção de matá-lo. Luna observou a cena, torcendo para Jack matar Shinto dessa vez. Shinto apenas olhou o oponente sem mover-se, então Jack parou sem sequer ser atingido fisicamente. Mas não conseguia mover nem os músculos da face para alertar a Luna que não conseguia se mexer. 

- Minha vez. 

Shinto estalou os dedos duas vezes e flutuou, mas passou direto por Jack, seu alvo era Luna. 

33 comentários:

  1. Eu amo imagines assim, sério! Por que não escreves no Wattpad? Sempre acompanho por lá 😉

    ResponderExcluir
  2. Só li essa parte e já me apaixonei e pude perceber o potência dela, estou um pouco perdida, mas quero ler do começo, parabéns por essa história, continue escrevendo.

    ResponderExcluir
  3. Li essa parte e adorei a história vou ler os outros capítulos para entender melhor adorei a resenha beijos sucesso

    ResponderExcluir
  4. Elena é vampira? Nossa,tive que ler o capitulo anterior para entender! E como sempre estava na torcida por um beijo entre Akio e Elena, e para minha alegria, vi!! Sua história está cada vez mais emocionante!! e Luna o que irá acontecer com ela?? Curiosa e no aguardo!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Carmem a imagem da capa é impressionante, essa saga é super emocionante a cada capítulo vem surgindo novidades que deixa a gente mais envolvido. Deste o início da história torci muito para o Akio e Elena eles passaram por tantas coisas na história. Já estou curiosa pra saber dos outros personagens, Carmem bjs.

    ResponderExcluir
  6. Eita mulher! Que capítulo é esse? Confesso a você que não sou muito fã de dramas e coisa e tal...eu gosto mais é de uma comédia! Mais pelo o que entendi é tipo um anime. To certa?
    Beijos e sucesso nos textos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é anime, só peguei as imagens de anime. :/

      Excluir
  7. Oi tudo bem?
    Entre meus gêneros favoritos estão o drama, com toda certeza você sabe escrever muito bem, parabéns sucesso <3

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. olá!
    Sabe o que eu mais gosto nessa história? Ler e fechar os olhos e imaginar a cena. Estou amando acompanhar! Parabéns!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Acho muito bom quando o autor sabe trabalhar vários gêneros dentro de um enredo. Esse é o seu caso e isso só enriquece a história. A ambientação também está fantástica.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Fiquei um pouco perdida por não ter acompanhado desde o início.
    Drama é um dos meus gêneros favoritos da literatura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. bem fiquei um pouco perdida por ter perdido os outros capitulos, mas eu achei um maximo. você escreve muito bem, enquanto eu lia eu ia imaginado tudo. parabens

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Li esse capítulo sem ter lido os anteriores e acabei ficando um tanto quanto desnorteada. Mas já de cara gostei muito de Akio e fiquei curiosa para saber mais sobre o envolvimento entre ele e Elena.
    Fiquei imaginando o desenho que Elena fez deles e creio que deve ser muito bonito. Não sei se você tem o dom para desenhos, mas seria interessante se o tivesse que nos trouxesse algumas ilustrações... ficaria perfeito demais!!

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Akio e Elena é aquele típico casal que não se assume e vive a brigar mas dessa vez foi sério. Sou boa com desenhos mas nunca me arrisquei e faz tempo que não desenho. :/

      Excluir
  13. Oxe, me desculpe por esse erro em achar que a estória se tratasse de um anime. Me prendi a capa ...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Capitulo 11 já, então estou bem atrasada né? Hahaha. Li um pouco, mas pretendo ler os anteriores para então poder compreender melhor. Mas o pouco que li, eu gostei bastante. Você escreve muito bem e falou em drama? É comigo mesmo...rs.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    Já está no capítulo 11? Nossa senhora, eu devo ir no 4o kkkk, nao me bata por favor, nao tenho tido muito tempo!
    Devia editar essa história, daria um belo livro!
    Bj

    ResponderExcluir
  16. Oi tudo bem?
    Estou adorando a história, não sabia que a Elena era uma vampira e mesmo eu não sendo muito fã de fantasias tenho que tirar meu chapéu pra você está incriveeeeel.

    Sucesso pra você.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi tudo bem ?
    Gente que capa é essa em ? Preciso ler os outros capítulos, adorei a premissa da estéria.
    Com certeza vou ficar acompanhando ^_^

    Amei seu Blog.
    Beijos :*
    Literatura Por Amor

    ResponderExcluir
  18. Toda vez que venho ler feliz da vida eu fiquei OMG aqui. Eu foco muito em Akio e Elena, mas pra mim é impossível ser diferente. Eu xonei de vez. Eu amo cada capítulo e fico feliz sempre com a evolução. A parte "Akio era o mal que lhe fazia bem" me deu até uma coisinha no coração. Suspirei forte. O drama perfeito! Parabéns

    ResponderExcluir
  19. Oi Carmem, tudo bem?

    A cada vez que venho aqui ler um novo capítulo saiu muito surpreendida e muito mais feliz, pois sua escrita apenas cresce e me envolve como leitora. No início do capítulo fiquei feliz pela forma como a Elena estava segurando o Akio, mostra o quanto ela o ama. Achei o Akio no meio bem babaca, deu vontade de ir lá e bater na cara dele. A Elena fez o que acho que uma grande parte das mulheres faria, cada dia gosto mais dela. Gostei da forma que eles se reconciliá-lo no final.
    Fiquei muito curiosa para saber o que vai acontecer nesta cena com o Jack, a Luna e o Shinto. Posta o próximo logo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Muito legal mesmo.
    Fiquei muito interessada
    Nessa parte, vou ler os outros capítulos para entender melhor.... achei Muito bacana a resenha beijos sucesso!

    ResponderExcluir
  22. Apesar de não ser muito fã do gênero, tenho que confessar que é uma história maravilhosa e muito bem escrita! E a capa é maravilhosa! A cada capítulo vem surgindo novidades e mistérios que deixa a gente mais envolvido. Desde o início da história torci muito para o Akio e Elena, mas apesar de amar a Elena, o Akio está bem babaca hahaha ❤

    ResponderExcluir
  23. Olá! :)
    Eu, que ganhei carinho pela Elena quando a li pela primeira vez, agora (depois de uns capítulos ausente), apanhei um susto quando a vi quase transformada numa sanguinária... Ahahah
    O que as desilusões de amor fazem!! ;)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Já tinha lido os outros capítulos e amei! Você tem um talento nato para a escrita! Posta em outras plataformas?

    ResponderExcluir
  25. uau que capa linda e a saga desse capitulo não deixa a desejar, pura emoção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei esse capítulo! É a primeira vez que visito o seu blog, e estou apaixonada pela mistura da linguagem que vc utiliza! A fala dos personagens é muito fluída e jovial! Parabéns! Vou voltar pra ler os capítulos anteriores!

      Excluir
  26. Você tem talento demais, parabéns!!! Amei essa parte da história. Muito fofa, romantica em algumas partes, ameeeeeeei! Continue escrevendo

    ResponderExcluir
  27. Oi Mee! A imagem em si já diz muito, como vocês esscreve e sabe colocar as palavras em perfeita harmonia, parabéns, você tem talento. Beijos.

    ResponderExcluir
  28. Ótimo livro vou ler os capítulos anteriores para entender melhor a história gostei muito beijos sucesso

    ResponderExcluir
  29. Olá! Que interessante conhecer essa história. Muito bom você estar compartilhando no blog. Parabéns e sucesso, bjo

    ResponderExcluir

Olá, bem-vindos (as).

Por favor, siga as seguintes regras ao participar do blog:

1- Nada de palavrões, palavras de baixo calão, mensagens de ódio, ofensivas. Serão imediatamente excluídas.
2-Respeite a opinião da outra pessoa mas não deixe de expressar a sua.
3- Nada de ''Gostei do post'' , ''lindo post'' ou ''vou conferir'' ou qualquer comentário vazio porque já vou saber que não leu nada. E eu vou ignorar.
4- Pode deixar o link do seu site abaixo do seu comentário, prometo visitar assim que possível.
5- Qualquer sugestão ou crítica construtiva serão aceitas.
6- Divirtam-se, riam, debatam, qualquer problema avise.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...